terça-feira, 31 de março de 2015

Amor Incondicional - Régis Mubarak


Sobre a Scully, Masdar e nossas novas vidas



              Nada contra os felinos, mas adoro cachorros e desde que me conheço por gente tive animais de estimação, aliás, não apenas um, certas épocas uns quantos. Sem recorrer a artigos anteriores, só preciso acrescentar que não imagino minha vida sem cachorros em hipótese alguma. Já há tempos minha fiel escudeira (dias atrás citei como minha melhor amiga e não estava mentindo), Scully (em homenagem a agente secreta Dana Scully) me surpreende com sua sagacidade e inteligência. Quanto a sua raça é mais ou menos uma mistura de mãe pastora alemã com pai lobo selvagem, nascida lá nas terras do Uruguai. Foi um dos melhores presentes que ganhei na vida, porque ela é incrível, quando digo incrível exageros à parte, só falta falar o idioma nativo.

              E então semana passada fiquei sabendo que o seriado Arquivo X (sucesso nos anos de 1993-2002 produzido pela Fox Americana) vai retornar e a princípio, segundo as palavras do seu criador (e gênio) Chris Carter, num pacote de 6 a 10 episódios ainda indefinidos. Isso “superaqueceu meu entusiasmo juvenil” em curtir Fox Mulder (ator e gato (!) de ascendência russa David Duchovny) e Dana Scully (atriz, tri inteligente e mega fofíssima Gillian Anderson) e mais toda a galera que por falta de espaço deixarei de citar. (Acesse mais informações em: http://omelete.uol.com.br/arquivo-x/#)

              Como feliz consequência nesses tempos de virais instantâneos e múltiplos compartilhamentos, assim que novos capítulos começarem a ser distribuídos, a internet (graças à obstinação do cientista britânico Tim Berners Lee nas décadas passadas   http://pt.wikipedia.org/wiki/Tim_Berners-Lee e sua complexidade) se encarregará de espalhar outras informações preciosas (e desfechos de alguns mistérios que ficaram em aberto naquela época nem tão distante assim), sobre esse e outros assuntos e mundos, leia-se exobiologia, vida fora da terra, teorias de conspirações, governos de sombras, governos ocultos, iluminatis e seus tentáculos, os transgênicos e sua nocividade, experiências horripilantes com seres humanos (lado malévolo da ciência), etc, etc, etc.

              Quem estiver disposto a abrir os olhos para essas realidades paralelas às quais estamos mergulhados obviamente, porque grande parte da população, exemplo prático em nosso país já acha suficiente acompanhar (deteriorando seu cérebro é bom ressaltar) as pornografias do BBB, seja muito bem vindo! Ok... ok... ok... não serei radical, cada um no seu quadrado, eu respeito os gostos alheios, assim como desejo que respeitem os meus. Acontece e é preciso esclarecer que existem dezenas, centenas, milhares de coisas acontecendo ao mesmo tempo e que afetam a evolução desse planeta e no entanto, grande parte da população continua mergulhada num manto escuro da ignorância!

              Outro exemplo: já ouviu falar de Masdar? Siga esse link aqui, caso nunca tenha ouvido nadinha a respeito: http://www.tecmundo.com.br/futuro/9871-masdar-city-bem-vindo-a-cidade-do-futuro.htm que fará você literalmente dar uma viajada! (Obrigada site Tecnomundo por suas magníficas contribuições: http://www.tecmundo.com.br/) Masdar é um projeto em construção em meio ao deserto nos Emirados Árabes Unidos, na cidade de Abu Dhabi. Um projeto de cidade inteligente, ecológica, autossustentável, hiper tecnológica e principalmente abriga um Instituto e Universidade de Pesquisas com as portas abertas a estudantes do mundo todo, nas mais diversas áreas de abrangência.

              Provavelmente você ao falar do mundo Árabe tenha seu cérebro direcionado às atrocidades do Isis ou Estado Islâmico, ou seja, o nome que queiram atribuir a esse grupelho infeliz financiado e manipulado justamente por esses governos das sombras que querem devastar nosso Planeta, num ato de completa insanidade, no momento em que estamos adentrando num processo de transição e evolução em escala cósmica.

              É sobre a Scully que eu amo. É sobre Masdar, esse projeto fascinante. É sobre nossas novas vidas. É sobre você (hoje e amanhã) e quem o rodeia. Sobre quem você ama. Abra seus olhos Irmão, estamos na iminência de dar um salto gigantesco rumo à nova fase da evolução da espécie humana. Não tenha medo por favor... tenha muita Fé!     



Régis Mubarak


terça-feira, 24 de março de 2015

De se apaixonar todos os dias



              Um dos desejos que gostaria de compartilhar imensamente com vocês, seria o de iniciar esse artigo afirmando com total convicção e a plenos pulmões que os próximos dias serão mais felizes. Entretanto não é bem assim... Vai ser preciso muito amor ao Rio Grande, muito amor ao Brasil, muito amor próprio e espírito de equipe para levantar a autoestima, um tanto quanto esfolada, pra organizar as finanças, pra deixar de fazer lambanças, pra conquistar a própria confiança que está meio a pique.
              Não mudo nenhuma vírgula do que escrevi em textos anteriores e não se trata daqueles clichês manjados. “Oh pobre América Latina sempre espoliada.” “Oh pobre América do Sul sofrendo pressão do grande irmão (?!?) do norte capitalista.” “Oh pobre vida!” Não se trata de vitimização além da conta, é que existem dezenas de interesses ocultos pro detrás de algumas manifestações e pseudo-líderes, que escorados a uma parcela desleal da mídia do centro do país insistem em instalar o caos. Sim desleal, porque o papel do jornalismo sério é ser imparcial e jamais tendencioso, é ouvir todos os lados e jamais pender para um deles, é deixar o povo se manifestar sem forçar a barra no editoral de capa ou pior ainda: colocar mais lenha em qualquer tamanho de fogueira.
              Outro exemplo: uma das maiores ingenuidades (ou não?!?) dos últimos dias pedir intervenção militar, quando nem os militares estão interessados nisso. E antes que você “salte na frente com o dedo em riste apontando no meu nariz” já irei esclarecendo: tenho parentes militares na esfera estadual e federal e embora descontentes com os rumos de certas decisões governamentais, a democracia livre permanecerá livre e em pé.
              Mas como hoje é domingo posso me dar ao luxo de falar sobre paixão. Não aquela paixão meio maluca, possessiva que acaba por destruir relacionamentos bacanas, em que o sexo vira somente moeda de troca e de imposição de sentimentos. (Ah sim e pode esquecer o “tal filme e o tal livro cinza” porque se o tal Sr Grey fosse feio, andasse a pé ou bebesse cachaça, a Srta Anastásia não ia brincar de frango assado na maior algazarra, toda faceira, ia mesmo era chamar a Brigada toda escabelada e sem glamour nenhum!) Buenas... como ia dizendo hoje é domingo e posso me dar ao luxo de falar sobre paixão. Paixão de assistir os desenhos animados da Tinker Bell e depois dar de presente para meus sobrinhos encantadores, falando de amizade, solidariedade e respeito à natureza. Paixão de assistir aos documentários da National Geographic e viajar por todo planeta, pelo corpo e cérebro humano, pelo reino animal, pelas sendas do conhecimento, tomando ciência das pesquisas tecnológicas mais fascinantes. Paixão de ler uma revista onde encontro a última entrevista do Rodrigo Junqueira Reis Santoro. (E se eu disser que já vi todos os seus filmes desde “O Trapalhão e a luz azul” passando por “Bicho de Sete Cabeças” até chegar em “300” (etc) sendo mega fã!)
              São pessoas desse super quilate: desenhistas, ilustradores, roteiristas, escritores responsáveis por animações artísticas carregadas de magia iguais as aventuras da Tinker Bell, documentaristas, fotógrafos, pesquisadores, cientistas, matéria prima da National Geographic e atores do calibre (e esforço, porque a trajetória dele não foi molezinha) do Rodrigo Santoro que contribuem para se apaixonar todos os dias... de novo e de novo!
              Todavia não esqueci que o dólar está nas alturas, a Petrobrás achincalhada, o Sartori sem mostrar projetos, a Dilma sem fazer as reformas, as estradas estaduais e federais se desmanchando e literalmente babar em cima das fotografias do maravilhoso Rodrigo Santoro, não vai mudar o fato de que segunda-feira preciso saltar da cama antes das cinco e tenho problemas pessoais para resolver. Mas é preciso se apaixonar pelas coisas e pessoas, pela vida, ter objetivos sólidos e muita coragem porque tempestades são passageiras e o desejo de fazer o Brasil um país definitivamente decente é que não pode se arrefecer jamais!  Oh céus... Oh vida... E quanto aquele espécime (animal) mais que perfeito do Rodrigo Santoro? Sim eu seria sua escrava sexual sem pestanejar, por que até onde pesquisei (e olha que pesquisei bastante) ele não bebe cachaça!

Régis Mubarak


quarta-feira, 18 de março de 2015

Verde Amarelo Vermelho e Azul



              Já votei no FHC e me decepcionei em partes. Já votei na Dilma e me decepcionei também em alguns quesitos. Anos atrás fui às ruas de vermelho pra reclamar e ouvir reclamações, mas já fui às ruas de verde e amarelo pra protestar e ouvir vaias do lado contrário. Já defendi causas que depois se mostraram nem tão promissoras assim. Já defendi gente que depois se mostrou traidora e roí as unhas de raiva. Em contrapartida já fiz oposição a determinados cidadãos, cujas ideias eram discordantes das minhas, que tempos adiante se mostraram sensatas e reconheci que a errada era eu.
              Se você na sexta-feira defendeu o Governo Dilma, Parabéns!
              Se você no domingo protestou contra o Governo Dilma, Parabéns!
              Chegamos até aqui e bem... agradeça de coração ao FHC e sua equipe que criou o plano Real. Tirando a banda podre do PSDB, existem pessoas tri bacanas que vestem a camisa do partido. Se o Brasil obteve avanços gigantescos em áreas sociais agradeça ao LULA e sua sucessora e membros de suas equipes que criaram Minha Casa Minha Vida. Tirando a banda podre do PT existem pessoas tri bacanas que vestem a camisa do partido. E existem pessoas maravilhosas no DEM, no PT, no PDT, no PC do B, no PSOL, no PMDB, etc, etc, que se esfolam para mudar o que está ruim. E existem pessoas ordinárias que só destroem, são os corruptos, os safados, os vermes. As imundícias que são médicos e não prestam pra serem médicos. São advogados e não prestam para serem advogados. São jornalistas, militares, professores, empresários, artistas, políticos, operários, pais e mães de família e não prestam, denegrindo a imagem de toda uma equipe, uma categoria, uma entidade, uma sociedade, um clã, um grupo.
              O radicalismo (ou o cinismo) de Aécio Neves incitando o povo a derrubar a Presidente num golpe é a mesma medida de mau caratismo do José Dirceu fingindo ser inocente de suas ações. Tipo assim o Lobão que fugia da polícia agora virar formador de opinião e intelectual. Tipo o Bolsonaro com seus ataques de racismo e homofobia não respeitando outros seres humanos. Tipo... tipo... tipo... são esses tipos radicais e cínicos que colocam tudo a perder em qualquer lugar do universo, ainda que sejam minoria.
              Essas manifestações ambas legítimas, foram lições de civilização e democracia, de liberdade de expressão, do direito de movimentação, de pensamento. E vestir uma camiseta vermelha (pró PT) ou azul (pró PSDB) ou amarela e verde (Pró Seleção Brasileira, mesmo depois da Copa do Mundo) é o ápice! Mas agora me responda sem pestanejar se de hoje em diante você não vai mais comprar produtos falsificados no Paraguai? Não vai baixar filmes da internet sem pagar nada? Não vai jogar lixo na calçada? Não vai encher de palavrões o senhor juiz nos jogos do timão? Não vai navegar em sites pornográficos quando sua namorada estiver dormindo? Não vai fazer piadas infames de gordinhos e loiras? Não vai sacanear seu colega tímido no escritório? Não vai copiar e colar da Wikipédia os temas da escola? Não vai beber e dirigir depois das festas? Não vai transar casualmente sem preservativo? Não vai invejar o carro novo do seu vizinho? Não vai falar mal do seu cunhado que ganha mais que você? Da sua prima que é mais bonita? Do seu cachorro caso ele seja mais inteligente!
              Não se modificam velhos hábitos, não se consertam grandes estragos, não se mudam os pensamentos, a consciência, assim como não se encontra a luz (sim é Jesus) em qualquer esquina indo comprar cacetinho!!! Tudo faz parte de um processo lento, gradual, democrático e felizmente já estamos inseridos nele. As manifestações foram legítimas, assim como o processo democrático nesse país, o que é totalmente oposto de incitar o ódio, a balbúrdia, a infâmia, o caos e querer dar moral quando seu histórico não é dos melhores. Verde, amarelo, vermelho e azul e todas as cores do arco-íris contra os radicais, os vermes e as imundícias, que proliferam em todos os partidos, os lugares e até em alguns cantos dentro de sua (nossa) própria casa. Ah sim... e (sempre) mire-se cuidadosamente diante do espelho antes de sair às ruas xingando a mãe dos outros...

Régis Mubarak  

 

sábado, 7 de março de 2015

Você pode construir partes desse novo mundo



        Hoje, utilizando-me de “mega sinceridade” gostaria de falar exclusivamente e carinhosamente do Sr. Spock ou de Leonard Nimoy (1931-2015). Por ser fã incondicional de toda aquela mitologia, roteiro, ideias criativas, histórias mirabolantes, teorias de toda espécie, mistérios, viagens por tantas galáxias, etc, etc, etc. Mas vai ficar pra próxima, porque iria dar a impressão que vivo no mundo da lua!

              Hoje, utilizando-me de “fontes espraiadas” pelo hiperespaço deveria falar de assuntos do tipo: “ruim com a Dilma, pior ainda sem ela,” “não se iluda, forças ocultas querem virar nosso país de cabeça pra baixo,” “sim, os EUA estão doidos pra invadir de vez nosso território,” “a quem interessa instalar o caos afinal de contas?” Mas vai ficar pra próxima, porque daria impressão que vivo no mundo das teorias conspiratórias!

              Hoje, utilizando-se das últimas 24 horas de qualquer noticiário da minha (sua) preferência, poderia dissertar sobre “essa tentativa de esboço de golpe” intitulado “Fora Dilma.” Graças à vasta experiência em meios de comunicação: rádio, jornal, internet, sei (e provavelmente você também sabe), que notícias ruins se espalham tipo pólvora. Notícias ruins (com sangue de preferência) vendem mais exemplares de jornal. Brigas, desavenças, falcatruas, fofocas, engodos chamam mil vezes a atenção do que qualquer descoberta científica que esteja bem pertinho da cura do câncer ou da aids.

              Daqui uns dias escreverei sobre o Spock que eu adorava.

              Daqui uns dias escreverei sobre matérias fascinantes: o poder das plantas, pré-cognição, viagens astrais, sonhos lúcidos, registro akashico, mudanças de DNA, crianças índigos e outros assuntos que venho estudando com afinco já há tempos. E as novas teorias de conspiração como por exemplo sobre a morte de Eduardo Campos!

              Daqui uns dias escreverei sobre pesquisas que comprovam que o Brasil não para de crescer, avançar e sobrepujar vários índices de desenvolvimento, desde o governo FHC, que inclusive é o pai e mãe de vários projetos que deram certo. E felizmente o Lula seguiu pelo mesmo caminho, não demolindo os tijolos já alicerçados. Aliás, você sabia que um dia Lula e FHC já foram os melhores amigos da 5º série?!?

             Daqui uns dias teremos milhões de assuntos tri bacanas ao meu entender, mas por hoje e não somente no dia de hoje, vou convidá-lo (novamente) a fazer parte desse novo mundo que se chama Internet. Respire fundo e tome coragem, porque se trata de um caminho rumo ao infinito e quando digo que você (todos nós) pode construir partes (conexão) dele é algo, o convite, a participação, o compartilhamento, a inserção, a manifestação, imprescindivelmente necessário para tornar (e permanecer) um espaço democrático, fervilhante e livre. Mas... sempre... sempre... tem um famigerado mas...

              E aí que reside o perigo de qualquer manifestação, seja ela no mundo real ou virtual (que acreditem é apenas uma extensão de nossa própria existência), distorcer a liberdade de expressão mudando sua significação e fomentar o caos: choque de opiniões, as agressões verbais (ou físicas no mundo real), o embate de ideias que caia para o campo das ofensas, das acusações levianas, do dedo em riste, tentando sobrepor um ponto de vista sobre os demais. Não se esqueça: regimes totalitaristas, facistas, etc e tal se alimentam do caos inicial, quando se perde o rumo das coisas, o fio da meada, o legítimo caminho da história. Podemos ajudar a construir partes desse novo mundo, utilizando-nos das redes sociais, da mídia digital, desse (super) poder que elas nos proporcionam, “mas respeitando regrinhas básicas da boa educação e civilidade.”

              Manifeste-se, comente, opine, busque soluções demonstre sua contrariedade, ajude a mudar o que está ruim e não piorar o que já não anda lá essas coisas. “A quem interessa instalar o caos afinal de contas?” “Queremos construir um novo Brasil ou dividi-lo aos pedaços para os outros o conquistarem (tomarem posse) de nós?”

Régis Mubarak