quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

A teoria dos 10 quilômetros e meio *



              Sinceramente sobre “minha teoria dos 10 quilômetros e meio,” preciso avisá-lo “de pronto” nesse parágrafo inicial, que não revolucionaria nada no campo científico, nem causaria celeuma, dissidência ou desapontamentos aos lados opostos, caso fosse efetivamente implantada. É uma teoria simples, sem retoques, que confesso ser de uma característica placidamente infantil. Infantil no sentido de que quando éramos pequenos e ingênuos, estávamos convencidos de que quando nos tornássemos adultos, princípios como união e solidariedade permaneceriam intocados, jamais sendo substituídos por distorções maléficas as nossas almas tais como a arrogância e a prepotência.
              Minha teoria, aliás, vamos corrigir o termo “minha” por “essa” pode ser explicada didaticamente da seguinte forma: imagine que o próximo gestor e sua equipe democraticamente eleitos no seu (nosso) município, independente de sua sigla partidária representar a continuidade ou a mudança do governo anterior, continuasse a pavimentar a sua (nossa) estrada rumo ao futuro, a partir dos 10 quilômetros e meio já asfaltados!
              Novas escolas, creches e ambulatórios fossem construídos, partindo dos 10 tijolos e meio já alicerçados. Que novas ruas fossem calçadas, obras de saneamento básico concluídas, praças e jardins revitalizados, projetos de cultura implementados e centenas de múltiplas realizações pudessem ter efetividade, sem precisarem ser revistas ou interrompidas ou até “postas abaixo a marteladas,” porque houve erros, desvios, maquinações e mal feitos das equipes anteriores no comando.
              Imagine que outras dezenas de ideias criativas recebessem total apoio, podendo ser aproveitadas parcial ou integralmente, independente de sua fonte original, ter ou não ligação com partido político A, B, C ou Z. E a propina, a chantagem e os atos ilícitos começassem a ser descartados, abolidos e na sequência, extirpados em definitivo.
              Imagine que o (a) novo (a) alcaide municipal ao tomar posse, não gastasse seu primeiro ano de mandado desfazendo as obras do seu antecessor e acomodando seus CCs, que salvo exceções, não irão contribuir em nada no processo de crescimento de nossas simpáticas cidadezinhas, a começar pelo fato, que na maioria dos casos, essas criaturas são indivíduos completamente despreparados tecnicamente para exercerem suas funções e às vezes, infelizmente também, moralmente desqualificados.
              Eis que essa despretensiosa teoria evitaria desperdício de tempo e mão de obra, valorizaria o funcionário concursado, tornaria o serviço mais dinâmico, contribuindo para tornar o ambiente mais agradável, revitalizando as energias dispersas, focando-as em objetivos concretos e metas decentemente alcançáveis. (Então irmão... levante aí do sofá e ajude-nos a passar dessa teoria para a prática imediatamente e ininterruptamente!)
               Sejam 10 quilômetros, 10 tijolos ou 10 passos, se eles deram certo até aqui, já foram erguidos ou criados por alguém que merece os créditos, independente de torcermos pelo mesmo time, comungarmos do mesmo credo religioso e menos ainda, pertencermos ou não ao partido A, B, C ou Z. O próximo alcaide e sua equipe precisam estar cientes de que o novo Brasil que queremos e podemos construir incluem colaboração, compartilhamento e fraternidade, paralelamente a limpeza da casa, que já está sendo feita, onde cada um pagará pelos seus erros, bobagens e c.g.d.s que cometeu!
              Precisamos de grandes líderes comprometidos com a ética, a justiça e a igualdade social. Sem essas credencias, ficha e consciência limpas, por favor nem se arrisquem a nos representar! Chega de sacrificar gerações inteiras em prol do ego, do individualismo, do insano. E não adianta se esconderem nas sombras, porque também o tempo dos grupos escuros (covardes e anônimos) já está chegando ao final...
             Sim... O Brasil sairá dessa crise maior e mais forte, porque nós somos fortes e não desistiremos em momento algum dos nossos sonhos, do coletivo e do nosso futuro!

Régis Mubarak *
Graduando em Gestão Ambiental - UNOPAR E Saúde Pública – PMI
Especialista Técnico em Gestão Contábil - CNEC e Marketing - SENAC
Pesquisador AVA SARU em Exobiologia e Tecnologia da Informação
Escreve para Jornais Impressos e Portais de Notícias do RS, SC e PR.


domingo, 17 de janeiro de 2016

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

John Boyega é muito tri!!!

John Boyega envia mensagem para pequeno fã brasileiro. Muito tri.
Leia matéria completa no Adoro Cinema:
http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-118585/